Crescimento do mercado imobiliário brasileiro

O Núcleo de Imobiliário da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo liberou um relatório formado por professores, pesquisadores e profissionais relativamente às imóveis de forma a apresentar as perspetivas de evolução do mercado imobiliário do Brasil. Este relatório consiste numa visão ponderada de elementos qualificados e em que reflete a realidade do setor.

Economia e imobiliário

O mundo continua a enfrentar a ameaça de uma recaída da grave crise económica que teve início precisamente no imobiliário e na especulação. No Brasil, o cenário para 2015 é semelhante. O crescimento do mercado imobiliário do Brasil assenta muito no investimento privado, muito devido à expetativa gerada por grandes eventos como a Olimpíada. No entanto, o investimento privado assenta mais em compra para aluguel, sendo que para o sector residencial a tendência de queda para compra e aluguel continua devido a carências económicas e falta de estabilidade devido ao aumento do desemprego.

Só com garantias de emprego a médio e longo prazo permitirão às famílias a recuperação da confiança no mercado de compra, sendo que a prioridade será o aluguel e a renegociação de rendas. O investimento no setor corporativo, comercial e habitação de luxo para compra são bons produtos para os investidores, visto que se destinam a uma faixa da população que ainda tem possibilidades de investir para crescer.

Setor residencial

A previsão para 2015 para o mercado de imobiliário brasileiro é a perceção de que os preços conhecerão alguma descida, contrabalançada pela subida da taxa de juro, sendo que para 2016 deverão conhecer nova subida. A cidade de São Paulo contraria a tendência, com contínuos aumentos do preço em alguns municípios e estabilização em outros, contrário à descida de preços no resto do País.

A realidade é que os empréstimos relativamente ao imobiliário subiram mais de 3% em relação ao ano passado, sinal que continua a existir confiança no crescimento do mercado dos imóveis. Mas é uma subida longe da esperada, quando pensamos em subidas superiores a 30% de expansões.

O exemplo de Mongaguá

Mongaguá situa-se no estado de São Paulo e é uma região de características muito distintas, sendo preferida para investimento privado por se situar perto do Oceano Atlântico e ter um clima muito semelhante a alguns países europeus. O fato de ser uma região turística atrai muito investimento e isso é visível nas casas a venda em Mongaguá, onde o fator localização é crucial.

Casas mais próximas do Oceano têm preços mais elevados, enquanto casas próximas da serra ou na periferia têm um preço mais reduzido por não terem tanta procura e por estarem mais afastadas dos serviços, é a lei de mercado a funcionar. Contudo, os preços de Mongaguá estão acessíveis nesta fase, no último ano os preços por metro quadrado valorizaram 6% e no último mês só valorizaram 0,54%. Este deve ser o sinal para contactar construtores e imobiliárias de Mongaguá para ter acesso aos imóveis com melhor localização e preferencialmente junto do Oceano por terem um acréscimo na componente fator turístico.

Читайте также

Mercado imobiliário em São Paulo: Vendas e lançamentos registram queda

Mercado imobiliário comercial em Curitiba é o 3º maior do Brasil

Venda de imóveis: confira os documentos necessários

Pensando em alugar um imóvel? — Veja dicas para alugar sem erro!

Mercado imobiliário em Brasília: Quadradinho aconchegante