Financiamento de casas: tire as suas dúvidas

Adquirir uma casa própria é um sonho. Para que esse sonho se torne realidade  existem várias modalidades de como adquirir esse bem. Para comprar uma casa ou um apartamento novo ou mesmo usado existe a possibilidade de se fazer o financiamento desse pagamento. Os financiamentos são feitos pelos bancos, que repassam ao vendedor do imóvel a quantia que quem deseja adquirir o imóvel quer financiar. A partir desse repasse, o comprador deve pagar ao banco que quitou a dívida. Durante o período do financiamento, o imóvel fica de posse da pessoa que fez a compra. Esse imóvel não pode ser negociado enquanto a dívida com o banco não é paga.

Financiamento

Vários bancos públicos e privados oferecem essa modalidade de crédito. O que faz a diferença entre eles são as condições de pagamento, como as taxas de juros que são cobradas, a duração dos contratos e o valor do imóvel que pode ser financiado. Após escolher um banco, o primeiro passo é ir até uma agencia e conversar com algum dos atendentes para iniciar as etapas que irão permitir a liberação do dinheiro (crédito).

Documentação

Em um primeiro momento, é necessária a entrega de vários documentos, entres eles, as originais e copias de RG e CPF, dos comprovantes de estado civil e renda. No caso de casais são solicitados os documentos dos dois cônjuges. No caso dos profissionais autônomos, a comprovação de renda pode ser feita por meio de contrato de prestação de serviços, da declaração do Imposto de Renda, declaração de algum sindicato (se pertencer a alguma categoria em especifico), recibo de recebimento por trabalhos prestados ou uma Declaração Comprobatória de Recepção de Rendimentos (Decore). No caso dos trabalhadores rurais, ambulantes, diaristas e profissões afins, que não possuam conta em banco. Deve haver o preenchimento de uma ficha de cadastro sob orientação do gerente, que deverá informar em cada caso quais os documentos necessários.

É através da comprovação de renda que o trabalhador vai indicar a sua capacidade de pagamento das prestações, pois o valor delas não poderá ser maior que 30% da renda familiar bruta. É feita também uma análise cadastral, que consiste na verificação de nome no Serasa ou SPC (Serviço de Proteção ao Crédito). Não havendo problemas é aprovada a liberação de crédito com um período de validade que varia de acordo com o banco.

Avaliação do imóvel

Após a análise cadastral dos compradores, o próximo passo é a avaliação do imóvel. O banco através de uma empresa, engenheiro ou arquiteto contratado, realiza a avaliação do imóvel que será financiado para confirmar o valor proposto pelo vendedor. A etapa seguinte à avaliação é onde o banco vai elaborar o contrato e pede que o comprador e vendedor assinem o documento. O contrato será registrado em cartório e levado a agencia bancária em seguida. Depois disso, o credito é liberado e o vendedor é pago. A partir daí o comprador começa a pagar as prestações mensais para quitar sua dívida com o banco.

Modalidades de financiamento

Existem alguns tipos de financiamento para a compra de casa ou apartamentos novos ou usados. Pode ser usados recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) ou do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE). Existe também a possibilidade de financiamento direto com a construtora.

Financiamento pelo FGTS, SBPE e Construtoras

O financiamento com esse tipo de recurso faz parte do Sistema Financeiro de Habitação (SFH). O valor do imóvel e o do financiamento tem limites que variam periodicamente. Só podem participar pessoas com uma determinada renda familiar máxima, que varia de acordo com cada região do país. As taxas de juros cobradas nesse caso são mais baixas que no SBPE.

No financiamento pelo SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo) não há limite de renda. Quando o valor do imóvel financiando está nos limites do SFH, as taxas de juros não podem ser superiores a 12% ao ano. Quando o financiamento pelo SBPE, mas fora dos limites do SFH, essas taxas de juros podem ser maiores que 12%.

O financiamento feito diretamente com as construtoras oferece maior flexibilidade na negociação. Não existe a imposição de limites sobre os valores financiados, renda ou taxas de juros. Nessa modalidade, porém, existem riscos maiores para os compradores. As empresas podem financiar a construção da casa ou apartamento com algum banco.  Nos financiamentos com construtoras, há flexibilidade para negociar. Cabe às empresas definir o valor máximo que será financiado.

Читайте также

Crise no mercado financeiro: Momento é de cautela

Documentos para Compra e Financiamento de Imóveis

Fundos de investimento imobiliário: Saiba como funciona

Refinanciamento de imóvel: É um bom negócio?

Carta de Crédito da Caixa: como usar

Добавить комментарий

Ваш e-mail не будет опубликован. Обязательные поля помечены *